7 Habilidades para Desenvolver a Inteligência Emocional

Inteligência emocional é um conceito relacionado com a chamada “inteligência social”, presente na psicologia e criada pelo psicólogo americano Daniel Goleman.

Entre as características da inteligência emocional estão a capacidade de controlar impulsos, canalizar emoções para situações adequadas, praticar a gratidão e motivar as pessoas.

Além destas qualidades, existem outras que precisam ser desenvolvidas para aumentar a inteligência emocional e termos uma melhor qualidade de vida.

Veja, agora, 7 habilidades que você precisa desenvolver e assim, aumentar sua inteligência emocional:

Curso de inteligência emocional no Rio de Janeiro

1- Saber dizer não

Geralmente, quem tem dificuldade em dizer não acaba se sobrecarregando e tentando fazer muito mais do que está a seu alcance. Isso também pode ser um medo de decepcionar os outros, uma insegurança, que no fim gera frustração e irritação consigo mesmo.

Dizer sim para tudo não significa que você é uma ótima pessoa e muito disposta a ajudar. Aprender a dizer não é aprender a controlar sua vida!

2- Conhecimento dos valores

Se você pudesse escolher apenas uma coisa na vida, optaria por sucesso, aventura, amor, conforto ou segurança?

Se pudesse evitar apenas uma dessas opções, escolheria evitar frustração, raiva, dor física, humilhação ou depressão?

Responder a esse tipo de pergunta ajuda a identificarmos quais são nossos valores pessoais.

Todos nós temos uma hierarquia de valores que surgem com as nossas experiências na vida, como relacionamentos pessoais, trabalho, etc. e que guiam nossas vidas.

Se uma pessoa valoriza aventura mais do que tudo, não vai pensar duas vezes quando alguém chamar para saltar de paraquedas. Porém, se o mais alto valor dessa pessoa for segurança, dificilmente ela irá topar.

Se você identifica seus valores pessoais, pode alterá-los. Se os modificar, seu foco mudará. Seu foco mudando, seu destino será outro!

3- Automotivação

É possível contornar o desânimo, estresse e cansaço, e voltar a focar em seus próprios objetivos pessoais e profissionais, dando um novo pique ao seu dia a dia, com algumas técnicas de automotivação.

  • Escreva as suas metas: liste seus objetivos a curto, médio e longo prazo e marque-os sempre que os cumprir. Isso nos dá motivação para buscar mais nossos objetivos, além de facilitar a visualização dos mesmos.
  • Organize seu cotidiano: a rotina fica bem mais simples quando é organizada, portanto aprender a ter controle de seu tempo é fundamental.
  • Recompense os seus ganhos: é muito importante que você mesmo reconheça os seus ganhos e conquistas. Coisas simples como uma saída com os amigos, ou uma roupa, por exemplo, motivam-nos a continuar na busca pelos nossos objetivos.

4- Feedback

O feedback é capaz de mudar impressões, desfazer mal entendidos e principalmente abrir portas para novas soluções e também pode ser feito tanto para o outro, quanto para si mesmo. É feito nos seguintes passos:

  • Reconhecimento: enalteça os aspectos positivos, sejam técnicos ou comportamentais.
  • Pontos a melhorar: neste momento, aponte os comportamentos que gostaria que fossem aprimorados.
  • Encorajamento: não basta apresentar os pontos que devem ser mudados. Oriente-se ou oriente o outro para que ocorra o desenvolvimento.

5- Autoconhecimento

O diferencial que faz com que cada um consiga ter controle sob suas emoções é o autoconhecimento.

O quanto você se conhece? Muito? Pouco?

A maior parte das pessoas acredita que se conhece, mas na verdade se conhece muito pouco.

Você ama e confia em alguém que pouco conhece? Geralmente amamos e confiamos apenas em quem conhecemos muito!

E se você não se conhece, como quer acreditar mais em sua própria capacidade? Como quer ir em busca de seus sonhos se não acredita ser capaz? E por que não acredita ser capaz? Porque não sabe quem você é.

Por isso, o autoconhecimento é fundamental para desenvolver o amor por si mesmo e fortalecer a autoestima.

6- Foco

A ideia inicial vem da Física, mais especificamente da Óptica, que é a área dessa ciência que estuda os fenômenos relacionados a luz e a visão, sendo o foco definido como o ponto de concentração de raios luminosos que passam por uma superfície transparente.

A ideia é a mesma da Física: A concentração em um único ponto.

Só que agora nos concentramos outras coisas, como esforços, trabalho e atenção.

Sendo assim, o melhor é decidir o que fazer e concentrar-se nessa atividade mais importante, tomando cuidado para não haver dispersões, pois isso melhorara os resultados e também a qualidade do que É feito.

O sofrimento muitas vezes acontece por conta do foco estar sendo direcionado para o lado errado. Por exemplo: A pessoa foca em um relacionamento que não estão tendo um resultado satisfatório e acaba deixando de lado todo o restante da vida.

Tome cuidado e analise suas prioridades!

7- Proatividade

A proatividade é o comportamento de antecipação e de responsabilização pelas próprias escolhas e atitudes frente às situações impostas pelo meio.

O profissional proativo, por exemplo, é aquele que se antecipa às situações. Ele tem conhecimentos sobre sua área de atuação, sabe como seus colegas trabalham e aproveita para adquirir experiências com eles, mesmo não tendo muito tempo.

Ou seja, o proativo tenta, em todas as situações, adquirir o máximo de conhecimentos (muitas vezes inconscientemente), o que lhe permite antecipar-se aos fatos.

Seja uma pessoa que, de uma forma ou de outra, tenta encontrar diversas maneiras para resolver um problema ou executar uma ação e se integre no time dos proativos.

Deixe seu comentário

2019-01-18T13:01:56+00:00janeiro 18th, 2019|Inteligência Emocional|
Share This