O Segredo dos Relacionamentos Bem Sucedidos

A relação com o nosso parceiro pode ser um dos aspectos mais recompensadores na nossa vida. Não há como evitar diferenças na personalidade e nós precisamos aprender a lidar com essas diferenças e aprender a conviver em harmonia com nosso parceiro.

Agora descubra o segredo dos relacionamentos equilibrados, são características para lidar melhor com seu cônjuge e, quem sabe até, salvar de um possível rompimento.

Comunicação

Na minha prática de consultório, esse talvez seja o maior problema da maioria dos casais, a falta de comunicação.

A comunicação nos relacionamentos amorosos é uma ferramenta indispensável para a construção do bem-estar mental dos indivíduos. Esta peça é de extrema importância para o fortalecimento das necessidades, troca de ideias, opiniões e ponto de vista, ao mesmo tempo é algo complexo e exige um exercício de paciência, autocontrole e, acima de tudo, uma vontade extrema de construir a relação, a partir de uma visão mais humanista.

Nesse sentido uma das coisas que mais atrapalham é o aumento de expectativa no outro, que não está à altura de corresponder uma visão romanceada e muitas vezes irrealista das coisas.

Tenho visto que na prática, o homem é o que mais foge das conversas, mas também algumas mulheres, por uma série de questões acabam ficando caladas diante de um problema.

Viver a dois não é fácil, mas é possível quando há transparência e clareza na comunicação. Mesmo se o seu cônjuge fugir, insista na conversa amigável, de preferência  após ter passado o momento de raiva, para não ceder ao impulso de agredir verbalmente o outro.

Respeito

Sinceramente, fico sem saber se este é mais importante que o anterior, (rs). Mas com certeza é o reflexo da falta de comunicação.

Quando a comunicação fica truncada, presa, grande parte das pessoas, por não terem maturidade suficiente para dialogar, acabam cedendo ao impulso de gritar, xingar e ofender, pois no momento de raiva uma competição é realizada e fica um competindo com o outro para ver quem humilha mais, quem ofende mais, quem grita mais. Só que o grande problema é que nesta competição só há perdedores.

Por isso, ser respeitado implica em sentir-se valorizado e sentir que suas necessidades e desejos são levados em consideração. Dessa forma, fica fácil entender como o respeito É vital e um dos segredos dos relacionamentos bem sucedidos.

Curso de inteligência emocional no Rio de Janeiro

Leve isso em consideração, na próxima vez que ocorrer algum tipo de desentendimento. Respire fundo e antes de agir impulsivamente, conte até 10, pelo menos, e deixe para conversar, eu disse CONVERSAR e não discutir, depois.

Faça um pacto com seu cônjuge de não violência verbal e em caso de atrito, espere a poeira baixar para poder conversar, antes que o mal aconteça. Deixe isso bem claro entre vocês.

Procure não reagir a uma ação e sim agir, ou seja, não se trata do outro e sim de você. Em uma discussão, evite a acusações e fale dos seus sentimentos, do que você está sentindo em relação ao comportamento da outra pessoa.

Reflita sobre se você quer ser feliz ou estar certo, porque para ser feliz você precisará, às vezes, abrir mão de estar certo e se você quiser estar certo, às vezes, você terá que abrir mão de ser feliz.

Cumplicidade

Quando falamos em cumplicidade em um relacionamento amoroso, estamos falando em parceria, em companheirismo. Para que um relacionamento dê certo é necessário que nele existam vários elementos e um deles é a cumplicidade.

Com a ausência desse elemento é muito difícil que um relacionamento tenha alguma chance de durar muito tempo. Pode até não parecer, porém esse ingrediente é fundamental na receita de um relacionamento duradouro e feliz.

O cúmplice de alguém em alguma coisa é aquela pessoa que de alguma forma colaborou ou está colaborando para que alguma coisa seja feita ou tenha sido feita. Então, basicamente, o cúmplice é um parceiro, um sócio que, geralmente, está junto na hora de pensar, planejar e executar algo. Por isso é fundamental que exista cumplicidade no relacionamento.

Nos relacionamentos saudáveis, os sentimentos e emoções devem ser mútuos, isso é parte da chamada sintonia de um casal. Ambos buscam sentirem-se amados e o amor se integra direta e necessariamente no respeito ao próximo.

Em um relacionamento saudável, é impossível sentir-se feliz e realizado com uma pessoa que não reconhece nossos esforços, que não nos admira ou que simplesmente não se interessa em saber quais são nossos anseios.

Empatia

A maior parte das brigas em uma relação é causada por um mal entendido. Essa dificuldade de entender o outro se dá, na maior parte das vezes, não por deficiência auditiva ou cognitiva, mas por falta de empatia.

Por empatia quero dizer sobre a capacidade de se colocar no lugar do outro, entender de que lugar ele fala e o que, de fato, ele pensa. A nossa tendência é escutar para rebater, nos defender, sem deixar com que aquelas palavras entrem como facilitadores para uma melhor compreensão.

Quando nos preocupamos menos em convencer e mais em escutar o outro, podemos ter ciência de quem está ali. Ao ouvir, conseguimos contextualizar a situação e enxergá-la por um ângulo diferente que, com certeza, nos dá uma visão mais completa e profunda sobre o caso.

Às vezes, avaliamos que fazemos o melhor para o outro sem nos darmos conta de que não necessariamente isso é o que ele quer ou considera bom. Podemos achar que mandar flores no trabalho é a maior demonstração de carinho possível, mas talvez isso para a pessoa possa ser uma situação constrangedora.

Lembre-se que para desenvolver empatia, você precisa levar em consideração o ambiente em que a outra pessoa cresceu, quais suas crenças internas, os exemplos que ela teve ao longo da vida e os seus valores.

Independência

Por último e não menos importante, que é um dos segredos dos relacionamentos bem sucedidos, a independência.

Se não há nada mais livre que o Amor, por que será que existem relacionamentos amorosos em que de certa forma nos sentimos aprisionados ou por vezes até mesmo sufocados?

Uma relação amorosa não consegue se estabelecer se não houver um movimento de independência emocional dos envolvidos.

É importante que você não perca a sua individualidade. É claro que precisamos fazer concessões vez ou outra, isso faz parte do equilíbrio da relação, mas manter a individualidade é importante para que você não perca sua identidade.

O grande desafio é manter o equilíbrio entre as questões de dependência e independência conforme a relação vai acontecendo. A dependência é necessária para que a relação se estreite cada vez mais e que o elo fique mais forte, pois a vida em comum pode afastar um do outro quando os parceiros resolvem cada um viver a seu modo, porém tudo é uma questão de diálogo, conversar sobre o que farão juntos e o que não farão ou o que não irão partilhar.

A dependência recíproca responde pela identidade do casal. A independência garante a riqueza e diversificação do casal.

Deixe seu comentário

2018-12-28T10:24:03+00:00dezembro 28th, 2018|Inteligência Emocional|
Share This